Category Archives:Dicas

EM QUAL ÁREA PODEMOS TE AJUDAR?

29-12

Área de Contabilidade – Classificação, digital, análise e contabilização das despesas, receitas e demais fatos contábeis do cliente para elaboração de balancetes, balanço anual e demais demonstrações contábeis com análise de desempenho para tomada de decisões gerenciais. Escrituração dos Livros Diário e Razão e cumprimento de obrigações acessórias como ECD – Escrituração Contábil Digital e ECF – Escrituração Contábil Fiscal e quaisquer outros livros físicos ou digitais e obrigações acessórias que vierem a ser exigidos pelo fisco.

Área Fiscal – Apuração dos impostos incidentes sobre o faturamento e confecção das guias de recolhimento, escrituração dos livros fiscais, físicos ou digitais, bem como o cumprimento de todas as obrigações acessórias, tais como: EFD-contribuições, DCTF, declaração de ausência de movimento, e demais obrigações exigidas ou que vierem a ser exigidas pelo fisco, com base na legislação e conforme a forma de tributação de cada cliente.

Área de Pessoal – Toda rotina de admissão e demissão de pessoal, confecção de folhas e recibos de pagamento de pessoal e de pró-labore, atualizações de livros e carteiras de trabalho, cálculo e confecção de guias de recolhimento das contribuições previdenciárias e trabalhistas, tais como: FGTS, INSS, contribuições sindicais patronais e de empregados e o cumprimento das demais obrigações acessórias, exigidas ou que venham a ser exigidas no futuro, tais como: confecção da RAIS anual, confecção da DIRF, confecção do CAGED, elaboração dos informes de rendimentos dos empregados e dos sócios, de acordo com as obrigações trabalhistas de cada cliente.

Área de Legalização – Emissão das certidões negativas de débito junto aos órgãos Federais, Estaduais, Municipais, caixa Econômica Federal, Junta Comercial e Registro civil de pessoas jurídicas. Parcelamento de débitos e demais serviços de regularização fiscal e cadastral para empresas, outros processos de interesse da sociedade, tais como: certificado de aprovação do corpo de bombeiros e Vigilância Sanitária, cadastramento no SICAF, alterações contratuais, baixas de empresas, entre outros.

Conte com a WPB para realizar a contabilidade da sua empresa!

QUAL TIPO DE LÍDER VOCÊ QUER SER EM 2017?

27-12

Para delegar, há dois pré-requisitos: confiar no time e fazer um planejamento.

Há três tipos de líder:

1. Centralizar: é quando o empreendedor quer fazer tudo e acaba concentrando toda a responsabilidade. Fica exausto e faz com que a empresa seja apenas do tamanho que ele consegue administrar.
2. Delargar: é quando o empreendedor joga trabalho no colo das pessoas sem elas estarem prontas ou treinadas. Depois, quando dá errado, se sente culpado e repete para si mesmo: “Não adianta, tenho que fazer tudo senão ninguém faz nada”.
3. Delegar: é repassar trabalho seguindo uma estratégia. Começa com a escolha de pessoas que tenham potencial e capacidade de aprendizagem. Depois, elas são treinadas para o trabalho que precisa ser feito, primeiro sob o olhar atento do gestor e depois sozinhas, recebendo feedback periodicamente. Aos poucos, o gestor se afasta, deixando o canal de comunicação aberto. É assim que se cria um time capaz e responsável.

DÓLAR CEDE QUASE 1% E VAI ABAIXO DE R$3,35

22-12

O dólar terminou em baixa e foi abaixo de 3,35 reais na última terça-feira (20/12/2016), marcando o segundo pregão seguido de queda, com fluxo de venda amplificado devido ao volume de negócios mais enxuto.

O BC novamente não anunciou intervenção no mercado de câmbio neste pregão.

O dólar recuou 0,83 por cento, a 3,3436 reais na venda, depois de fechar com queda 0,56 por cento na véspera. Na mínima do dia, a moeda norte-americana marcou 3,3399 reais e, na máxima, 3,3795 reais.

O dólar futuro exibia variação negativa de cerca de 0,70 por cento no final desta tarde.

“O (cenário) político está praticamente parado e o Judiciário, em vias de parar. A menos que aconteça alguma grande novidade que possa impactar o governo até o final do ano, o dólar deve ficar oscilando mais ou menos onde está”, comentou o trader da Ouro Minas Corretora, Mauricio Gaioti.

Com a proximidade das festas de final de ano, os mercados financeiros já começaram a tirar o pé do acelerador, reduzindo bastante o volume de negócios.

“O dólar tem oscilado entre 3,30 reais e 3,40 reais, banda que varia de acordo com o nível de tensão em Brasília. Como há uma trégua nesse sentido, o dólar está no meio do caminho”, comentou um profissional da mesa de câmbio de uma corretora local.

A cena política brasileira, no entanto, continuava no radar e ajudando os investidores a manterem a cautela, em meio aos vazamentos de delações de executivos da Odebrecht que atingiram figuras importantes do governo, inclusive o presidente Michel Temer.

O juiz federal Sérgio Moro determinou a soltura de dois executivos da Odebrecht que estavam presos no âmbito da Operação Lava Jato, mas manteve detido o ex-presidente da empreiteira Marcelo Odebrecht. Eles foram beneficiados pelo acordo assinado em dezembro com a força-tarefa da operação.

O mercado também leu com bons olhos as medidas anunciadas nesta manhã pelo presidente do BC, Ilan Goldfjan, voltadas para ajudar na recuperação da economia, que incluem cidadania financeira e melhoria da eficiência do sistema financeiro.

No exterior, o dólar subia ante uma cesta de moedas e chegou a atingir a máxima de 14 anos, sustentado por declarações favoráveis da chair do Federal Reserve, Janet Yellen, na véspera e que mantiveram vivas as expectativas de ritmo mais rápido de alta dos juros nos Estados Unidos no próximo ano.

O BC brasileiro ficou de fora do mercado de câmbio neste pregão.

ESTÁ EM DÚVIDAS SOBRE ATESTADO MÉDICO? A WPB ESCLARECE!

21-12

De acordo a Legislação Trabalhista, a justificativa da ausência do empregado ao serviço, por motivo de doença, para não ocasionar a perda da remuneração correspondente, deve ser comprovada mediante atestado médico.
O atestado médico, para abono de faltas ao trabalho, tem limitações regulamentadas por lei. O Decreto 27.048/49 que aprova o regulamento da Lei 605/49, no artigo 12, §1º e 2º, dispõe sobre as formas de abono de faltas mediante atestado médico. Confira:

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA – CFM

Os atestados médicos de particulares, conforme manifestação do Conselho Federal de Medicina (CFM), não devem ser recusados, exceto se for reconhecido favorecimento ou falsidade na emissão, assim estabelecendo:

O atestado médico, portanto, não deve “a priori” ter sua validade recusada porquanto estarão sempre presentes no procedimento do médico que o forneceu a presunção de lisura e perícia técnica, exceto se for reconhecido favorecimento ou falsidade na sua elaboração quando então, além da recusa, é acertado requisitar a instauração do competente inquérito policial e, também, a representação ao Conselho Regional de Medicina para instauração do indispensável procedimento administrativo disciplinar.

ORDEM PREFERENCIAL

Ordem preferencial dos atestados médicos (estabelecida pelo Decreto 27.048/49 e também pela Legislação da Previdência Social):

– Médico da empresa ou em convênio;

– Médico do INSS ou do SUS;

– Médico do SESI ou SESC;

– Médico a serviço de repartição federal, estadual ou municipal, incumbida de assuntos de higiene e saúde;

– Médico de serviço sindical;

– Médico de livre escolha do próprio empregado, no caso de ausência dos anteriores, na respectiva localidade onde trabalha.

CONHEÇA AS ATITUDES ESSENCIAIS DE UM LÍDER MODERNO

20-12

Quer ser um líder moderno para a sua equipe? Pensando nisso, a WPB Contabilidade reuniu algumas atitudes que são essenciais para que você obtenha sucesso nesta empreitada. Confira!

– Estar antenado com as mudanças do mercado.
– Promover a mudança de atitudes necessárias para sua equipe atender ao “novo consumidor”.
– Fazer planos com antecedência, não “em cima da hora”.
– Ter capacidade de mobilizar a equipe para executar seus planos e obter resultados.
– Estimular atividades de trabalho em equipe.
– Proporcionar treinamento e desenvolvimento pessoal.
– Desenvolver maneiras de integrar as equipes para aproveitar mais “sinergia”.
– Ter um senso de prioridade e passá-lo ao grupo: o que é importante se realizar primeiro?
– Cumprir os programas de avaliação de desempenho, definindo as metas de melhoria.
– Dar os feedbacks necessários para pessoas e equipes, para que saibam o que está dando certo e o que é preciso melhora.

SIMPLES NACIONAL – DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS

15-12

Consideram-se isentos do imposto de renda, na fonte e na declaração de ajuste do beneficiário, os valores efetivamente pagos ou distribuídos ao titular ou sócio da microempresa ou empresa de pequeno porte, optantes pelo Simples Nacional, salvo os que corresponderem a pro labore, aluguéis ou serviços prestados.

Limite de Isenção
A isenção fica limitada ao valor resultante da aplicação dos percentuais de que trata o artigo 15 da Lei 9.249/1995, sobre a receita bruta mensal, no caso de antecipação de fonte, ou da receita bruta total anual, tratando-se de declaração de ajuste, subtraído do valor devido na forma do Simples Nacional no período, relativo ao IRPJ.
Entretanto, conforme disposto no § 2º do artigo 14 da Lei Complementar 123/2006, a mencionada limitação não se aplica na hipótese de a pessoa jurídica manter escrituração contábil e evidenciar lucro superior ao limite.

Ou seja, provado através da contabilidade que o lucro apurado é superior ao determinado pela regra geral de isenção, poderá este lucro ser distribuído com a isenção do imposto de renda.
Base: § 1° do artigo 6º da Resolução CGSN 4/2007 (na redação dada pela Resolução CGSN 14/2007).

FÉRIAS: SAIBA MAIS SOBRE SEUS DIREITOS E DEVERES!

14-12

O artigo 129 e seguintes da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) apresenta as diretrizes para concessão de férias, períodos concessivos e aquisitivos e dá outras disposições.

Todo empregado terá direito anualmente ao gozo de um período de férias, sem prejuízo da remuneração.

Quantos dias de férias eu tenho direito?

Atentem que o empregado terá direito a 30 dias de férias (corridos).

As férias devem ser pagas incluindo a remuneração, mais 1/3 sobre elas.

Por exemplo: se o salário do obreiro é de R$ 900,00, ele deve receber R$ 900,00 + R$300,00 (1/3 sobre a remuneração).

Estagiário tem direito a Férias?

A lei de estágio não computa férias, e sim recesso de 30 dias. Assim, o estagiário não tem direito à remuneração de 1/3 quando está de recesso. No entanto, tem garantido o seu direito de 30 dias de recesso, sem, todavia, fazer jus a 1/3.

E sobre as faltas injustificadas?

O artigo 130 da CLT concede descontos se o emprego faltar injustificadamente. No entanto, o empregador não deverá abater dias de férias, mesmo que as faltas sejam injustificadas, pois não há compensação, ou seja, o empregador não pode descontar nas férias, os dias que o empregado faltou injustificadamente.

Posso faltar até quantos dias sem prejuízo dos descontos de dias em minhas férias?

Até 5 faltas injustificadas no período de 1 ano (período aquisitivo), o empregado deve gozar os 30 dias normalmente. Demais faltas, recomendamos a leitura do artigo 130 da CLT.

As Férias podem ser divididas? Em quantas vezes?

Geralmente as férias são concedidas em um único período, mas em casos excepcionais, elas podem ser divididas em até dois períodos, observando que o período deve ser de, no mínimo, 10 dias corridos.

Para os menores de 18 anos e maiores de 50 anos de idade, não podem ser concedidas férias de forma fracionada.

Também não há possibilidade de excepcionalidade, pois esta classe tem que usufruir suas férias integrais e não fracionadas. Observar o artigo 134 § 2º da CLT

O que significa Período Aquisitivo?

São os 12 meses iniciais que o empregado trabalha para adquirir direito às suas férias.

O que significa Período Concessivo?

São os 12 meses seguintes, subsequentes e que o empregado deverá usufruir, gozar as suas férias.

Segundo a lei, o empregado não precisa combinar nada com o empregador, pois quem determina o período de férias do empregado é o empregador, pois independe do pedido do empregado. O empregador é quem decide.

No entanto, há a exigência de aviso de férias no período de 30 dias de antecedência que ele irá gozar as férias CLT art135 Caput. O empregado não deve questionar, pois este ato depende do empregador e este observa o melhor interesse de sua empresa. Lógico que o diálogo supera tudo, não?

No entanto, se houver parentes (membros de uma mesma família) laborando na mesma empresa, tais empregados devem gozar férias juntos, se assim desejarem e se deste ato não houver prejuízo ao empregador. Observem o artigo136 § 1º da CLT.

Os estudantes, menores de 18 anos devem conciliar as férias escolares com as férias trabalhistas CLT Artigo 136§ 2º.

Se estourar o período concessivo, o empregador deverá pagar as férias em dobro mais 1/3.

Neste caso, somam-se as duas remunerações mais 1/3 sobre aquele montante, ou seja, sobre o dobro da remuneração. E mesmo assim, o empregador tem que conceder 30 dias de férias.

Em síntese: O empregado recebe o dobro do salário, 1/3 de férias e ainda goza 30 dias de férias.

O que significa Abono Pecuniário?

Sobre a venda de dias de férias, conhecido como Abono Pecuniário, o artigo 143 CLT diz que “ É facultado ao empregado converter 1/3 (um terço) do período de férias a que tiver direito em abono pecuniário, no valor da remuneração que lhe seria devida nos dias correspondentes. 1º – O abono de férias deverá ser requerido até 15 (quinze) dias antes do término do período aquisitivo.

Realçando que 10 dias é o tempo máximo de dias que o empregado pode pleitear o abono pecuniário.

O empregador é obrigado a ‘comprar’ as férias do empregado?

Sim. Consoante o artigo 143 da CLT, é facultado ao trabalhador converter 1/3 de suas férias. Desta forma, o empregador tem que aceitar a proposta do empregado.

Notem que há uma exigência de que o interesse do empregado em adquirir o abono pecuniário deve ser noticiado ao empregador com antecedência mínima de 15 dias do término do período aquisitivo. O empregador só terá a obrigação de comprar as férias do empregado se for notificado dentro do prazo legal.

As verbas a que tem direito o trabalhador incluem a remuneração normal, mais 1/3 mais a remuneração dos dias vendidos. Lembrando que 1/3 não incide sobre os dias vendidos, mas sobre as férias.

O empregado pode se recusar a gozar férias?

Sim. Se o empregador não cumpriu com a exigência de avisar com 30 dias de antecedência que o empregado iria gozar férias, o empregado pode se recusar a gozar as férias estabelecidas.

Neste caso, o empregador não pode mandar o empregado embora por Justa Causa, pois foi ele quem descumpriu o dispositivo legal.

Ainda ficou dúvidas?

Recomendamos a leitura dos artigos 129 a 145 da CLT. ou entre em contato com a WPB, podemos te ajudar!

VOCÊ É UM GESTOR RESILIENTE?

13-12

Resiliência é a capacidade de superar as adversidades sem ser afetado por elas, de modo negativo e permanente. A resiliência é uma competência que surge e se desenvolve em situações difíceis, através de experiências negativas. As pessoas resilientes são mais tolerantes à mudança, entendem que imprevistos acontecem, fazem parte da rotina e por essa razão não perdem o controle diante da primeira dificuldade.

PESSOAS RESILIENTES possuem três crenças:

· Comprometimento: acreditam que o que elas fazem é importante e que vale a pena se empenhar.
· Controle: acreditam que são capazes de influenciar o resultado dos acontecimentos.
· Desafio: as pessoas com estas qualidades são mais inclinadas a enxergar as exigências de um evento potencialmente estressante como oportunidades e não como ameaças.
A boa notícia é que a resiliência é uma competência que pode ser aprendida e desenvolvida em qualquer fase da vida.

Junte sua equipe e tente incluir em sua rotina diária, tanto no ambiente de trabalho como na vida pessoal, algumas das práticas abaixo:

1. Use os horários de baixo movimento e até mesmo as reuniões para ampliar os conhecimentos, compartilhe uma técnica nova, pois isso aumenta a autoconfiança;

2. Seja um Gestor Positivo, transforme-se em um otimista em potencial;

3. Seja Gestor Corajoso, assuma riscos e a possibilidade de fracassar;

4. Seja um Gestor do Bom Humor, desarme o pessimismo vendo o lado positivo das situações;

5. Seja Criativo, quebre a rotina;

6. Seja Resiliente, aceite que a vida é cheia de altos e baixos e aproveite a jornada mesmo assim.

Investidor Anjo: ajuda (quase divina) em 2017

08-12

Em 2017, as micro e pequenas receberão um grande auxílio. Assim como o aumento da segurança jurídica fez os bancos aumentarem suas ofertas de crédito imobiliário, o aumento da segurança jurídica para investimento anjo no Brasil trará um aumento de investidores pátrios e estrangeiros!
Confira como será a operação:

– O aporte de capital não integrará o capital social da empresa;
– As finalidades do investimento devem constar em Contrato de Participação, com vigência não superior a sete (07) anos.
– O aporte pode ser feito por pessoa física ou jurídica (fundos);
– As atividades da empresa serão exercidas unicamente pelos sócios regulares (quotistas) – ou seja: investidor não pode sair trabalhando em nome da empresa investida.

O investidor anjo:
– Não será considerado sócio nem terá qualquer direito a gerência ou voto na administração da empresa;
– Não responderá por qualquer dívida da empresa (mesmo em caso de falência) – a dívida é dos sócios quotistas e administradores;
– Será remunerado por seus aportes, nos termos do Contrato de Participação, pelo prazo máximo de cinco (05) anos;
– Os valores de capital aportados não são considerados receita da sociedade e não desenquadram a empresa do Simples Nacional;
– Ao final de cada período (ano fiscal) o investidor anjo fará jus a distribuição de lucros, conforme Contrato de Participação, não superior a 50% dos lucros da empresa;
– O direito ao resgate do valor investido só existirá após dois (02) anos do aporte de capital, não podendo ultrapassar o valor de investimento mais correção (conforme o famigerado Contrato de Participação).

O que não está relacionado acima deve ser acordado no Contrato de Participação, e é livre de negociação entre as partes.

Você é MEI está em dúvida sobre contratação de funcionário?

07-12

Confira algumas questões que podem ajudar você na hora de contratar o seu funcionário.

1 – Quantos empregados o Microempreendedor Individual- MEI pode contratar?
O MEI pode contratar até 01 (um) empregado com remuneração de um salário mínimo ou piso salarial da categoria, que pode ser consultada no Portal do Empreendedor, clicando no link portal do Ministério do Trabalho e Emprego – Mte.

2 – Quais os procedimentos que o MEI deve tomar para caracterizar o afastamento do único empregado?
A partir do atendimento da condição legal do afastamento, o empregador Microempreendedor Individual (MEI) pode contratar outro empregado, e o contrato desse novo empregado perdurará durante o tempo em que o contrato do outro empregado estiver interrompido ou suspenso.
Exemplo: a licença maternidade é caracterizada a partir do momento em que o empregador é notificado pela empregada mediante a entrega do atestado médico ou da certidão de nascimento do filho.

3 – Para contratação de empregado o MEI precisa de um contador?
Não há necessidade de ter um contador para a contratação de um empregado pelo MEI. Se preferir, o MEI pode utilizar-se do auxílio de um profissional da contabilidade a fim de obter mais detalhes e orientação para a contratação de um empregado.

4 – Qual o custo para contratação de um empregado?
Os valores podem alterar caso o piso salarial da categoria profissional seja superior ao salário-mínimo. Como exemplo, para salário igual ao valor do salário mínimo, o custo previdenciário, recolhido em GPS – Guia da Previdência Social, é de R$ 96,80 (correspondentes a 11% do salário mínimo vigente), sendo R$ 26,40 (3% do salário mínimo) de responsabilidade do empregador (MEI) e R$ 70,40 (8% ou conforme tabela de contribuição mensal ao INSS (1)) descontado do empregado. A alíquota de 3% a cargo do empregador não se altera.
Além do encargo previdenciário de 3% de responsabilidade do empregador, o MEI também deve depositar o FGTS, calculado à alíquota de 8% sobre o salário do empregado. Sendo assim, o custo total da contratação de um empregado pelo MEI é de 11% sobre o valor total da folha de salários (3% de INSS mais 8% de FGTS).

5 – O MEI quando contratar empregado deverá fazer a guia do FGTS (GFIP) e informar ao órgão competente?
Sim. Caso tenha um empregado, o MEI deve recolher mensalmente o FGTS com alíquota de 8% sobre o valor do salário pago, preencher e entregar a Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (GFIP) à Caixa Econômica Federal até o dia 7 do mês seguinte àquele em que a remuneração foi paga. Caso não haja expediente bancário no dia 7, a entrega deverá ser antecipada para o dia de expediente bancário imediatamente anterior.
O MEI que não contratou funcionário ou não possui funcionário não é obrigado a elaborar e entregar mensalmente a GFIP – Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social – e mesmo assim obterá a Certidão de Regularidade Fiscal junto ao FGTS expedida pela Caixa Econômica Federal.

6 – O MEI que não contratou funcionário durante o ano, está obrigado a elaboração e entrega da RAIS?
Não. O MEI que não contratou funcionário durante o ano não é obrigado a apresentar a RAIS – Relação Anual de Informações Sociais, conforme previsto no inciso II do Artigo 99, da Resolução do Comitê Gestor do Simples Nacional de nº 94/2011.